12.11.11

Alternativa de cultivo de eucalipto privilegia produção de biomassa

Técnica está sendo aprimorada por pesquisadores em floresta de Botucatu (SP) Uma nova tecnologia para o cultivo de eucalipto para a produção de energia está em fase experimental em Botucatu, no interior de São Paulo. Em uma área de 10 hectares, a equipe de pesquisadores do Núcleo de Ensaios de Máquinas e Pneus Agroflorestais (Nempa), ligado à Faculdade de Ciências Agronômicas da Unesp, faz experimentos para otimizar o plantio voltado para a produção de biomassa. Quatro tipos de espaçamentos estão sendo testados, com até cinco vezes mais árvores por hectare do que normalmente é plantado. Também está sendo estudado o tipo de clone que melhor se adéqua ao objetivo. As mudas são cultivadas em estufas climatizadas com umidade controlada e aos 45 dias são transplantadas para o terreno. O projeto terá três anos de duração, com avaliações econômicas e de desempenho antes de ser disponibilizado para o mercado. “Periodicamente realizamos testes para verificar o rendimento da plantação. A floresta mais densa, por exemplo, gera competitividade entre os indivíduos que precisam se esticar para obter luz solar, o que resulta em árvores mais esguias e alongadas. Como as árvores não serão utilizadas para lenha ou chapas de madeira o diâmetro não é o mais importante”, explica Saulo Guerra, engenheiro florestal e coordenador do Nempa. O pesquisador vai apresentar o projeto no Fórum Brasileiro de Biomassa Florestal, no dia 19 de novembro, em Lages (SC), com a palestra “Alternativas para a colheita florestal, com foco na produção de biomassa”. “Um dos diferenciais dessa alternativa é o tempo reduzido de colheita, que é de um ano e meio a dois, enquanto o método tradicional exige de cinco a sete anos para o primeiro corte. Depois de cortados, os eucaliptos crescem novamente sem necessidade de replantio, pelo menos nesse primeiro momento”, destaca o especialista. A colheita precoce do eucalipto será realizada em 2012, nos moldes de uma cultura de linha, como cana ou milho e em seguida transformada em cavaco pelo mesmo equipamento, já pronto para ser transportado. Guerra ressalta que existe pouca produção de eucalipto destinada à produção de biomassa e que esse pode ser um nicho interessante para o empresariado brasileiro. “Até 2020 o continente europeu pretende ter 20% da sua energia proveniente de fontes renováveis. Esse aumento na demanda pode se converter em uma oportunidade de negócios para o Brasil”, observa. Evento O Fórum faz parte da programação do Florestal&Biomassa - Encontro Latino-americano de Base Florestal e Biomassa, que será realizado de 17 a 19 de novembro, no Parque de Exposições Conta Dinheiro, de Lages (SC). O evento ainda terá o 3° Congresso Internacional do Pinus, e a Expo Florestal&Biomassa, uma feira de insumos e produtos da silvicultura, máquinas e equipamentos para as indústrias de madeira, papel e celulose e biomassa, vai levar até os visitantes as principais novidades para a atividade florestal. O evento é uma realização do Sindimadeira de Lages e da Associação Rural de Lages, com promoção e organização da Hannover Fairs Sulamérica e apoio do Governo de Santa Catarina, por meio da Secretaria de Estado de Turismo, Cultura e Esporte com o Funturismo, e das Prefeituras de Lages, Otacílio Costa e Correia Pinto, entre outras importantes entidades. Fonte: florestalbiomassa.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

2leep.com

análise de SEO gratuito para blogs